segunda-feira, 16 de março de 2020

Dados do BC mostram que contágio é mais rápido no Brasil, diz Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, conta que ganhou na terça-feira (11) uma missão política do presidente Jair Bolsonaro: ir ao Congresso para pacificar a relação entre governo e parlamentares. Horas antes, eles havia derrubado o veto do presidente à ampliação do BPC, benefício ao idoso carente, criando uma despesa adicional anual de R$ 20 bilhões à União.
Era uma derrota fragorosa, fruto da disputa em torno do Orçamento impositivo. “Fui ao Congresso naquele dia numa missão eminentemente política. Não fui para apresentar nada sobre coronavírus”, diz Guedes.
Na reunião, o ministro foi surpreendido por uma informação: projeções do Banco Central mostravam que a velocidade de contágio no Brasil era mais veloz do que em outros países, inclusive China. “Foi alarmante”, diz Guedes.
O ministro, então, criou um grupo para monitorar o avanço do efeito do coronavírus sobre a economia e apresentar medidas. E insiste que o Congresso precisa fazer a sua parte. “O baque do coronavírus é temporário. A China já está se recuperando. Eu preciso estar preocupado com o reforço das nossas defesas durante e depois da crise”, disse.
Guedes falou à Folha na manhã deste domingo (15). À noite, após participar das manifestações, Bolsonaro deu entrevista ao canal CNN, chamando de “extremismo” e “histeria” medidas que estão sendo adotadas para conter a doença.
FOLHAPRESS

Nenhum comentário: