terça-feira, 3 de março de 2020

APÓS FIM DE SEMANA COM TRÊS FEMINICÍDIOS, PROTESTO PEDE FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA MULHERES E LEMBRA MORTE DA ESTUDANTE ZAIRA CRUZ

A uma semana do Dia Internacional da Mulher, o Rio Grande do Norte teve dois dias com três casos de feminicídio em diferentes cidades do estado. Um deles aconteceu no sábado (29) e dois neste domingo (1º). Nesta segunda-feira (2), a comunidade de Currais Novos, no Seridó potiguar, se reuniu em um protesto pelo fim da violência contra as mulheres, em alusão à data de um ano do assassinato de estudante Zaira Cruz, cujo ex-namorado, o PM Pedro Inácio, é o principal suspeito. 


De acordo com a Coordenadoria de Estatísticas e Análise Criminal (Coine) da Secretaria de Segurança, entre janeiro e este início de março de 2020 seis mulheres foram vítimas de feminicídio no RN. Os crimes aconteceram em seis cidades: Natal, Taipu, Jardim de Piranhas, Jucurutu, Tabuleiro Grande e Francisco Dantas. 

População de Currais Novos protestou em lembrança à morte de Zaira Cruz e pelo fim da violência contra as mulheres — Foto: Rayssa Aline/Cedida
Este último ocorreu no sábado (29), quando Joana Dark foi assassinada com, pelo menos, oito facadas dentro de casa pelo próprio companheiro, que foi preso em flagrante. No domingo (1º), em Taboleiro Grande, a vítima foi Karla Simone da Silva, de 30 anos de idade. Ela foi encontrada morta em um motel. Karla tinha marcas de pauladas e facadas por todo o corpo.


Segundo as investigações, o agressor teria reconhecido o carro da vítima estacionado em um motel da cidade. Ele não aceitava o fim do relacionamento dos dois. O suspeito furou os pneus do veículo, se passou por cliente na recepção e em seguida quebrou a porta do quarto, onde Karla estava com o atual namorado. 

Nenhum comentário: