quarta-feira, 25 de setembro de 2019

CASOS DE SUICÍDIO E AUTOMUTILAÇÃO ENTRE POLICIAIS CHAMAM ATENÇÃO

MAIORES VÍTIMAS DE SUICÍDIO ENTRE POLICIAIS SÃO HOMENS EM CARGOS DE BAIXA PATENTE. FOTO: TÂNIA REGO/AGÊNCIA BRASIL

O senador Styvenson Valentim (Pode-RN) alertou esta semana para um e que deve ser objeto de políticas públicas urgentes por parte do Estado: o suicídio e a automutilação de policiais civis e militares. O Fórum Brasileiro de Segurança Pública mostrou que em 2018 mais policiais foram vítimas de suicídio do que assassinados no horário de trabalho. Foram 104 casos. Os casos de automutilação não são registrados oficialmente.
“Por ser capitão da PM eu convivi com uma classe que não procura ajuda para não parecer fraca. A gente precisa achar essas pessoas. Se formos esperar eles procurarem o serviço, vamos perder muito tempo e eles podem perder a vida. Eu liguei para testar o 188 e passei 27 minutos para ser atendido. Se a pessoa já está impaciente, como vai esperar tanto tempo?”, questionou Styvenson.
A Comissão de Assuntos Sociais (CAS) realizou na quarta-feira (18) audiência sobre automutilação e suicídio na tentativa de compreender quais os principais gatilhos que levam ao comportamento autodestrutivo e quais as ações que estão sendo realizadas ou podem ser adotadas no Brasil para agir de forma preventiva e diminuir estes os índices de automutilação e suicídio. Especialistas representantes de diferentes ministérios do Governo, estiveram presentes e falaram da preocupação sobre o tema. 

Nenhum comentário: